Abraço de aeroporto



O aeroporto é um lugar extremamente mágico em que os mais variados sentimentos se misturam. Amor. Dor. Saudade. Partidas. Chegadas. Começo. Recomeço. Final.

Você vê várias pessoas diferentes. Vê aquelas pessoas calmas, com um fone grande nos ouvidos mexendo no celular e ocupando duas cadeiras (uma para as malas). Vê também os comissários, sempre com pressa, talvez por suas escalas apertadas de trabalho ou pelo simples fato de poder conhecer mais um destino, mesmo que em pouco tempo. Vê os atrasados, correndo com as malas, atropelando todas as filas e tentando barganhar com o pessoal da companhia aérea para deixa-lo entrar, afinal algo de importante aconteceu na outra ponta do destino.

Porém, uma das coisas que me chamam a atenção nesse lugar, são os abraços.
Todo o mix de sentimentos de repente se comprime de tal forma que duas pessoas se abraçam e esquecem do mundo por um instante e cada abraço tem a sua particularidade.

Há os abraços felizes. Os abraços de chegada. Os abraços de reencontros. Abraços de namorados, casais, famílias, pais e filhos, amigos.
São aquele mix de cara, que bom te ver novamente. Não saia mais. Com uma alegria convertida em choro e riso ao mesmo tempo.

Por outro lado, há os abraços de tristezas. Abraços de partidas, despedidas e separação.
Estes tem por característica serem mais demorados, chorados e difíceis de se largar. Tô nessa categoria quase sempre que me dão intimidade. Odeio despedidas. Na real, tô cansado delas.
Afinal, esses abraços sempre levam parte de nós. Levam parte de nós para Alemanha, para Portugal, para o RIO, para Manaus e para o coração ao lado.
Os abraços de despedidas nos deixam com um peso de saudade difícil de mensurar, afinal, saudade não se mede nem se segura, se sente. Na mente começa a tocar uma trilha sonora e você começa a lembrar todos os momentos legais que passou com a pessoa e mesmo que seja por uma boa causa, você se segura pra dizer não se vai não.

Os abraços de aeroporto nos dizem coisas. Não são somente abraços. Eles dizem quem irá sentir nossa falta. Eles dizem quem ficou feliz em nos ver. Eles dizem o quanto somos importantes para o outro. Eles dizem o quanto significamos para o outro.
São fortes, demorados, chorados, risonhos, tristes e alegres.

É o que acho mais bonito nos abraços de aeroporto.
A simplicidade e ao mesmo tempo a complexidade que cada um carrega.

Dê um abraço de aeroporto em alguém, você não sabe quando essa pessoa vai partir.


Lucas Iensen

Share:

0 comentários