Re-começo


Somos tão bobos quanto o nosso “primeiro amor” que quando o tempo decide levar, caímos na ilusão de que nunca mais poderíamos sentir todas as mil sensações novamente.

Confesso que estava com saudades.
Saudades de sentir meu estômago embrulhar.
Saudades de respirar fundo no momento em que encosta na minha mão.
Saudades de viver.

Vivi, o que por certo chamam de acaso.
Ele nos encontrou, e decidiu que seria melhor vivermos assim. Sós.
Eu, comigo mesma. Você com seu desapego total.

Esses dias tive uma longa conversa com uma pessoa (muito especial) sobre todo o caos que havia vivido. E juntos, chegamos a conclusão de que o amor supera barreiras. De que quando há amor (amor de verdade), esteja ou não no seu pior relacionamento, você pode recomeçar.

Eu recomecei.
Comigo mesma, mas recomecei.
Me permito agora, a viver todas as sensações que o mundo possa me transpor.

Afinal é essa a beleza da vida.
Toda essa confusão, que chamamos de sentimentos.

Share:

0 comentários