Quando o perdão não vem





     Pedir perdão é algo muito difícil, pois o orgulho sempre tenta nos travar. Mas existe uma coisa ainda mais difícil de lidar: quando nosso pedido de perdão é negado.

     Tudo que não depende de nós, nos causa desespero. É horrível a sensação de estar "nas mãos" de outra pessoa. Nessas horas, muitos pensamentos vagam por nossa mente e alguns deles nos fazem achar que talvez seja melhor deixar "pra lá", afinal de contas o relacionamento não voltará a ser o mesmo. Já outros pensamentos, nos fazem querer insistir ao lembrarmos de como era bom ter a amizade e o amor daquela pessoa...

     E no meio disso tudo, somos tomados por um sentimento de culpa e quando a dor se torna insuportável, chegamos ao ponto de nos humilharmos diante de quem nos fez mal.

     É claro que eu e você já sentimos isso. E é mais claro ainda que não é algo saudável.  Mas a questão é: o que fazer nesses momentos?

      Eu não sei em qual posição você está, se você é quem está pedindo perdão, se você é quem está negando o perdão ou se pior: se você é quem ainda nem conseguiu pedir. Mas o que vou falar aqui serve para todos os casos.

     Muitas vezes nos vemos brigados com alguém por causa de coisas extremamente pequenas e que juramos que jamais seriam capazes de destruir nossas amizades. Às vezes, nem lembramos ao certo o motivo pelo qual estamos brigados, no entanto não damos o braço a torcer. Por que então não liberamos o tal do perdão? Que barreira é essa que nos cega e nos impede de dar um passo à frente e voltarmos a ser livres e felizes? Eu acho que sei o nome dela... É orgulho! E vou dizer: isso mata.


O orgulho mata as pessoas enquanto elas ainda estão vivas
                                                                                                                              

     Existe uma frase do teólogo Simon J. Kistemaker que diz “negar o perdão é como beber um copo de veneno e esperar que a outra pessoa morra” e de fato, o fardo continua sobre nossos ombros. Deveria ser proibido preferir viver em uma guerra declarada, ao invés de pronunciar uma pequena palavra de 6 letras. Mas não é só pronunciar, é viver. Porque se não for de coração, nem adianta. Coração. Está aí outra palavrinha pequena, porém com um significado enorme. Por que deixamos nosso coração se abalar e se fechar por qualquer errinho do nosso irmão?



Lembre-se que aqui na terra deixamos um legado. E eu aposto que você não vai querer ser lembrado(a) como sendo aquele(a) que tinha um coração duro feito pedra, um(a) ranzinza que acinzentava ainda mais este mundo sombrio

 

     A palavra perdão possui 6 letras, percebeu? O número 6 remete ao ser humano. E de fato cometer erros é humano, mas por que pedir perdão não é tão humano quanto errar? O medo de sair como o inferior da história, o medo de sair como o mais fraco, o medo de sair como o perdedor... Não deve ser maior que o medo de continuar sem a paz que só o perdão pode trazer.

  

Porque ser humilde a ponto de se fazer de fraco em favor de algo ou alguém é a maior prova de força que existe

  

     Que foi exatamente o que Jesus fez há um pouco mais de 2 mil anos. Morreu para que fôssemos livres, e Ele foi liberto da morte pelo Pai. Entregou a própria vida em favor de pessoas que hoje O negam diariamente e até O odeiam. E quem vai chamá-lO de fraco? Sejamos como Ele e passemos por cima de toda dor, angústia e mágoa. Saibamos que mesmo com o perdão negado, somos livres e as correntes que aprisionam não estão mais em nós. E saibamos perdoar sempre, como Ele nos ensinou.

 

“Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?

(Mateus 18, 33)

Share:

0 comentários