Sobre sentir demais


e todo final do dia é o mesmo drama
a gente se perde na rua, se acha na cama
completa mais uma vez o caminho de casa
entre as ruas torno-me estrada
entorpecidos pela euforia da multidão que sem nem saber meu nome segue o mesmo sentimento, embalados na mesma emoção
porque o fim do dia sempre representa algo bom
o ar do cair da noite,
o cheiro do alimento feito,
me deito e me enfeito de todo ser que sou
no escuro do meu quarto, perdida no meu eu
não há quem enganar
somos apenas você
você
eu
todos os personagens vividos durante o dia
a ativista sem causa
a adolescente em crise
a conselheira
a perdida
o ser e seu descaso
o amigo que tenta ser abraço
e aquele meu ex namorado
uma repetição infinita de sobrenomes 
casados sempre com simples codinomes
''será que você pensa em mim quando a está beijando?''
''e essa possível faculdade, é um bom plano?''
toca ao fundo uma melodia triste
ritmo se transpassa para lágrimas
e depois aquele riso contido com o choro de um cavaquinho que virou minha graça
mas é tudo sentimento demais
não é mesmo?
gramática
matemática
até mesmo aquela redação que não ficou tão boa assim
nota não diz quem você é
vivemos em péssimo sistema
mas vejam só,
que acaso
a dona de todos os protestos acabou tornando-se vítima do descaso
não vou me perder
foco
uma semana passou e a dor foi mais forte
para ajudar, aquela série que fala sobre morte
mas não se preocupe, mãe, sempre há uma saída
o que não sai daqui por mal
sai no papel, onde se encontra a minha vida

Share:

0 comentários