Uma carta para Ana

Conheci a Ana no mês passado. Eu a conheci em uma daquelas vezes em que entrei no Facebook pensando "quem eu vou ajudar hoje?" e logo vi, em um dos grupos que participo, Ana comentando que estava triste por vários motivos. Então, eu a chamei para conversar, pois sabia que poderia ajudá-la. Senti isso de primeira. Coisas que só Deus pode explicar.

Ana é uma menina muito linda. Mas ela não é linda somente por fora, ela é linda por dentro também. Ela é linda de alma e de coração. A beleza exterior de Ana é só um convite para conhecermos o maravilhoso conteúdo que ela traz por dentro.

Conversa vai, conversa vem e logo me dei conta de que estava diante de um ser humano extremamente incrível, mas que deixou de acreditar que é incrível por conta de decepções e palavras de pessoas não tão iluminadas quanto ela.

Ana faz faculdade, adora passear no shopping, comprar roupas, tirar fotos, ouvir músicas dos mais variados estilos, assistir seriados, ir a museus, ler romances...

Mas Ana está perdendo a essência e o prazer de viver.

De tanto ler romances, Ana quis ser amada. Ela queria viver tudo aquilo que lia nos livros de Nicholas Sparks e ouvia em sua playlist romântica.

Ana tentou achar na vida, todas aquelas coisas que lia nos romances e ouvia nas músicas clássicas, mas essa busca só lhe rendeu decepções.

Ana foi abandonada três vezes. Um abandono já dói, imagina três.

Ana desistiu do amor que tanto sonhava, pois sentiu na própria pele que ele, diante de tudo que ela viveu, estava longe de existir na vida dela.

Mas Ana precisava se preencher de alguma forma.

Ana começou a fumar. Hoje, o cigarro é o seu melhor amigo e não sai de seus dedos. Ana enlouquece quando os pensamentos ruins vem e ela não tem um maço de cigarro ao lado.

Ana diz que não liga mais para o amor, mas no fundo eu e ela sabemos que isso não é verdade. Tudo que Ana quer é ser amada. Amada como as personagens dos romances que ela lê, são. Mas ela não tem mais força e nem ânimo para um amor assim, pois ela precisa ser preenchida e preenchida o mais rápido possível.

E é por isso que ela já permitiu muitas coisas e pessoas ruins entrarem na vida dela. Nesse jogo de vazio e preenchimento, Ana só vai perdendo a própria identidade. Deixando uma parte dela em cada pessoa e perdendo cada pedacinho maravilhoso de si mesma por aí.

Ana perdeu todos os seus amigos. Todo mundo virou as costas quando ela mais precisava de um ombro.

A mãe de Ana, para completar, não a compreende muito bem. Ela também não compreende a mãe. Ninguém é flexível a ponto de compreender o lado alheio.

Ana tinha um sorriso lindo, sincero e aberto de orelha à orelha. Mas ele não existe mais.

Hoje, aquela menina fofa do sorriso frouxo e da alma florida, transformou-se em uma mulher que muitas vezes se sente vazia e fria e que prefere bater primeiro à apanhar depois.

Talvez ela chame isso de maturidade ou diga que os outros a fizeram ser assim. É capaz de dizer que as próprias pessoas com quem ela conviveu foram as responsáveis pela mudança drástica dela. Mas para mim, isso está longe de maturidade.

Maturidade é não deixar que outros ditem a sua maneira de agir e não perder a essência só porque o meio em que vivemos nos motiva a isso. Maturidade é não ter a personalidade moldada por aquilo que as pessoas nos oferecem ou ofereceram anteriormente.

Ana, não tem essa de "você me mudou", pois ninguém tem esse poder. Nós mudamos sozinhos, por nós mesmos. Mudamos porque experimentamos da frieza alheia e adotamos isso para nós.

Depois de tantas decepções, queremos aprender a bater também. Mas não enxergamos que nisso, os únicos que perdem somos nós mesmos.

Ana preenche a si mesma com pessoas que ela sabe que não vão durar nem um mês na vida dela e se envolve em romances desses meia-boca só para se sentir feliz por um momento. Ela fuma só para se sentir cheia. Mas no final, quando a noite cai e quando deita na cama, ela não tem ninguém e não tem nada. Ninguém. Nada.

Ana tenta se preencher com pessoas ainda mais vazias que ela.

Isso tudo é angustiante para Ana. Ela realmente não sabe o que fazer, como agir e como sair dessa. Ela sente que a cada passo para frente, ela volta dois para trás. Ela sente que em cada passo, ela se afunda mais dentro de um buraco que todo mundo vive dizendo que ela mesma cavou e que vai morrer nele.

Palavras de desânimo. Como se Ana já não estivesse desanimada demais. Esses dias, Ana me disse que queria que a mãe dela a tivesse abortado porque ela sente que é desprezível aqui na Terra. Acho que foram as palavras mais doloridas que li em toda a minha vida.

Ana, estou escrevendo esta carta, pois tenho algumas coisas para te dizer. Por favor, preste bastante atenção.

Ana, você é linda. Linda mesmo. Você é uma jóia rara e muito preciosa. Mas você acabou caindo nas mãos de pessoas que não conhecem finas jóias e não conseguiram dar o devido valor que você merecia. Mas, veja bem, isso não quer dizer que você não tenha valor. Quer dizer que as pessoas que cruzaram o seu caminho foram ignorantes a tal ponto que não souberam identificar tudo de melhor que existe em você.

E é muito triste quando isso acontece porque sempre somos convencidos de que somos ruins, inúteis, insuficientes... E um monte de coisas horríveis. Mas na verdade, quem foi o insuficiente da história foi quem não soube enxergar o melhor de nós, pois faltou sensibilidade para isso.

Ana, pelo amor de Deus, olha pra você. Olha para dentro de você. Caramba garota, você é incrível! Você tem um futuro brilhante pela frente, não é só um rostinho/corpinho bonito. Tem conteúdo e um intelecto riquíssimo. Se você não enxerga isso, eu enxergo.

Muitos rapazes vão se aproximar de você, mas eles não terão a intenção de te amar. Eles não vão querer tocar o seu coração. Não vão estar preocupados com seus anseios, sonhos e nem vão estar preocupados em te fazer feliz. Eles não querem te satisfazer por completo, só querem o que a Ana externa pode oferecer. E a Ana externa, que tanto precisa ser ouvida, cuidada e verdadeiramente amada, que se lasque.

Ana, eles não querem te oferecer o amor que você precisa. Eles são tão vazios quanto você (ou mais). O que você poderia esperar deles, além de mais decepções?

Você não vê que tudo isso é um universo de pessoas vazias e que um ciclo infindável de decepções está sendo formado aqui na Terra? Todos aqui estão querendo se preencher, Ana! E você e seu corpinho lindo são uma forma de preenchimento também. Desculpe ser assim tão dura, mas é que me dói ver uma estrela perdendo o brilho.

Você é como uma estrela brilhante que brilhava sem parar, feliz da vida, mas aí veio alguém com problema de vista e disse "nossa, essa estrela tá meio apagadinha". Você ouviu isso e se convenceu de que era apagada, sem graça, inútil e está levando isso para a sua vida. Mas a pessoa é que tinha problema de vista e não foi capaz de enxergar todo o seu brilho, Ana!!!

Ana, acorda desse sonho cruel antes que seja tarde demais. Já ouviu aquela frase que é filosoficamente  chamada de "sofisma", que diz "uma mentira contada várias vezes se torna uma verdade" ? Então, olha quantas vezes você já repetiu que é uma pessoa horrível, inútil, ruim...? Não deixe isso virar uma verdade na sua vida. Não deixe os outros ditarem a intensidade do seu brilho. Brilhe sempre, sem parar.

Sempre tem alguém se inspirando em você. Sempre tem alguém que só está de pé porque você também está.

Não dê esse gostinho a quem te disse palavras ruins. Brilhe mais do que antes e as pessoas vão pensar "caramba, minhas ofensas não conseguiram afetá-la!!! Que garota é essa?!". Vão ficar surpresos com sua força, com seu brilho e com sua auto-confiança. E aí seu nome de "apagadinha" vai passar para "iluminada" e isso será uma verdade na sua vida.

Ana, a vida é um sopro. A vida é uma oportunidade que nos foi dada. Amanhã ou depois a gente morre e o que fizemos com essa oportunidade? Qual legado deixamos?

Quem não é visto, não é lembrado. Não se esconda atrás de uma atmosfera triste, sombria e sem graça daquelas que tem slogan bem grande, escrito "a vida é chata, nada faz sentido, tudo só dá errado, eu não sou ninguém, sou uma inútil..." pois você pode sim mudar todo esse quadro se quiser. O poder está na mente, Ana.

 Conserve sua alma sempre assim como eu te conheci: transparente, preocupada com os outros, disposta a tudo por aqueles que ama, prestativa a todos que te procuram e conselheira mesmo quando está mal. Olha quantas qualidades só na sua alma!!! Não perca isso, por favor. Não se perca de si mesma.

Eu fui capaz de perceber tudo isso de bom em você. Há de existir outras pessoas que percebam também. Não aceite aqueles que só enxergam o seu lado ruim e ignoram as milhares de qualidades que você possui. Se alguém não consegue enxergar sua alma, ela será incapaz de te amar. E será apenas mais uma ilusão para a sua coleção.

Ana, sei que seu nome não é esse. Sei que você já foi tão machucada que sente medo de ser identificada. Sei também que você não está sozinha, pois somos ou já fomos Anas em algum momento de nossa vida. Quem nunca se sentiu vazio, que atire a primeira pedra. A questão é: o modo que escolhemos para preencher esse vazio, muda tudo.

Ana, você não precisa de nada disso. Você não precisa do cigarro, você não precisa dessas pessoas que foram anteriormente feridas e que hoje só sabem ferir os outros. Você não precisa disso.

Ana, você só precisa saber que existe alguém acima de nós olhando para a sua vida e vendo como você poderia se sentir amada se fosse um pouquinho mais forte para dar um passo à frente e mudar todo o quadro da sua vida.

Saiba também que eu estou aqui para te mostrar isso. Para te mostrar um novo caminho de esperança. Para te mostrar que a vida pode ser bela, independente de tudo e quem escolhe isso é você. Eu estou do seu lado, mas não posso tomar nenhuma decisão por você. Infelizmente, pois se eu pudesse, já teria feito isso para o seu bem.

Ana, eu estou aqui.  Eu não vou embora como todas as outras pessoas. Eu não vou te julgar, eu não vou te menosprezar e nem te reduzir ao nada. Eu vim para ficar.

Mas não se esqueça que eu não posso tomar uma decisão por você.

Ana, é só uma fase ruim, não uma vida ruim. Por favor, me dê o privilégio de ver aquele sorriso novamente. Às vezes vou ficar mal e precisar dele para me sentir motivada a sorrir também.

Seja feliz, seja completa, seja amada. Seja você, Ana. Não tente imitar ou seguir uma história já escrita. Escreva a sua. Ela pode ser bem mais lida do que todas as que você já leu, acredite!

Não estamos em um conto de fadas, mas isso não quer dizer que você não seja uma princesa.

Com carinho,
da sua mais nova amiga e admiradora,
Brígida Gabriela.

Share:

1 comentários

  1. Texto maravilhoso, em todas as frases alguém se encaixa em algum lugar eu aprendi mas de mim neste texto sou um pouco Ana aprendi a ser dura para me defender. A vida não è fácil...

    ResponderExcluir