Precisamos falar sobre a Bia

     

     A Bia é uma menina muito forte. Talvez nem ela reconheça isso, mas ela é. 


     A Bia é o tipo de pessoa que se entrega e é totalmente dedicada às pessoas. Ela faz o bem sem olhar a quem. Mas, no meio de tanta bondade, existem uns (umas) espertinhos (as) que tentam se aproveitar desse jeitinho caridoso dela. 

     Por conta dessa entrega incrivelmente pura e da intensidade com que ela organiza os sentimentos, Bia já sofreu bastante. E amadureceu bastante também. 

     Hoje, ela prometeu a si mesma, não sentir. Mas não sentir é impossível. Bia tenta ao máximo nem sempre demonstrar. Por vezes, ela se pega cansada. Cansada dessa luta contra ela mesma. Sentir ou não sentir? Demonstrar ou não demonstrar? 

     Às vezes, ela acaba desmoronando. Mas, as coisas só desmoronam depois de já terem acumulado muito peso. E se acumulou peso, significa que foi forte. E a Bia é mais forte do que ela pensa. 

     A Bia tenta se fechar, para o próprio bem. Ela tenta se travar, tenta se medir e tenta se dosar. Mas ela não cometeu erro algum para querer isso. Os errados foram aqueles (as) que amaram de menos. É triste ver como a crueldade humana pode fazer alguém querer se fechar cada vez mais. 

     Vejo tantas pessoas interessadas apenas na ajuda que a Bia pode oferecer a elas, ao invés de conhecê-la e amá-la verdadeiramente. Sinto pena desses seres, pois, por causa de um interesse, estão se privando de conhecer uma pessoa maravilhosa, uma pessoa incrível e uma pessoa esplêndida. 

     Eu conheço a Bia há um ano, mas é como se já conhecesse há uns dez anos ou mais. Ela definitivamente me cativou. Eu vi nela o que vejo em pouquíssimas pessoas nos dias de hoje, que são individualistas e só enxergam o próprio umbigo. 

     Fico triste por aqueles que só querem usufruir da boa vontade da Bia e depois virar as costas. Coitados! Que pessoa magnífica estão perdendo a oportunidade de conhecer. 

     Posso dizer que conheci a Bia de um jeito que muita gente, com mais tempo de amizade com ela, não conheceu. Pelo simples fato de que uma pessoa sensível entende a outra. Eu conheci a Bia que poucos conhecem ou conhecerão. Meu coração foi capaz de enxergar tudo aquilo que ela quer que as pessoas que ela ama, entendam.

     Eu me permiti descobrir essa menina. E descobrir a Bia foi como encontrar um tesouro que, na verdade, sempre esteve ali, acessível a qualquer pessoa. Mas que por falha das pessoas, elas não foram capazes de ver que ele estava diante dos olhos delas. 

     Eu amo a Bia. E amo saber que descobri uma parte exclusiva dela, que só aqueles seres especiais também descobrirão. 

     Eu amo cada pedaço da Bia. Cada complexo que ela diz ter. Eu amo a ideia de ter uma parte inédita dela que eu mesma cativei por ter tido a capacidade de enxergar. Eu amo o pacote completo dessa amizade restauradora, cativante e mágica. 

     Bia, obrigada por ser a Bia. Obrigada por estar na minha vida. Obrigada por estar viva, por estar resistindo e por estar nos agraciando com seu sorriso mais lindo. 

Bia, eu te amo.

"Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra." (Caio Fernando Abreu)

Share:

0 comentários