Lembranças


Vamos confessar: nós gostamos de ser lembrados. Gostamos de nos sentir importantes e especiais.

Gostamos quando um amigo lembra de nós sem nenhum motivo aparente.
Gostamos quando vemos aquela notificação especial no celular: “Fulano mencionou você em um comentário no Facebook”. Ou até mesmo aquela: “Ciclano marcou uma foto com você”. Aquela foto antiga ou a foto que tiraram ontem. Ou aquele comentário num vídeo totalmente sem sentido: “Ri demais, aposto que você vai rir também!". 

Gostamos das nossas brincadeiras em comum. Dos nossos risos contínuos. Das nossas músicas compartilhadas. Dos convites para sair.
Gostamos de companhia. Gostamos de quem nos faz bem e de quem nós também temos a capacidade de fazer bem.

Não só gostamos disso tudo, é mais que isso. Nós amamos. O coração sente paz.
Mas, nisso tudo há uma coisa que odiamos.
Odiamos cobrar. Odiamos parecer um peso.

Nós amamos ser lembrados com espontaneidade. Amamos ser lembrados sem cobrança. Amamos ser lembrados reciprocamente.

Nós queremos ser lembrados.
Não queremos lembrar as pessoas de precisarem lembrar de nós.

E nessa estrada, nós aprendemos que as lembranças apenas valem a pena com quem se vale a pena lembrar. Se tu lembras, é porque amou. Se amou, é porque viveu.

Nem sempre no passado, convenhamos. Se tu lembras, é porque amas. Se amas, é porque vives. E nessa estrada, nós aprendemos que a vida só vale a pena com quem se vale a pena viver. 

Share:

0 comentários