Teu olhar mata mais que uma arma carregada.


Já diziam alguns poetas por aí, que o teu olhar mata mais que uma arma carregada com todas as balas. Ei de concordar com eles.

Seria ironia do destino, eu morrer pouco a pouco, cada vez que te olho? Se dependesse de olhar em teus olhos, eu já não estaria mais aqui. Fui fuzilada.

A cor do teu olho atirou também, cor em mim. E a sagacidade do teu olhar, metralhou meus mais aguçados sentidos. 
Sinto a dor do tempo passar, quando não o vejo passar em teu olhar. Quando não o vejo parar em teu olhar. Toda vez que me deparo com teu olhar, sou atirada para uma galáxia diferente.

Galáxias de paixões e desejos. Galáxias estas, que provocam uma falta de noção de espaço por aqui. Aqui, digo, em meu olhar.
Já não tem espaço só para o meu, é preciso também ter o teu. E eu, já não sei mais como não ter este olhar de encontro ao meu.

Quando te olho, sinto sintonia. Teu olhar também se perde no meu. E dois olhares que se perdem juntos, se encontram lá na frente.

E repito, já diziam alguns poetas por aí, que o teu olhar mata mais que uma arma carregada com todas as balas. Ei de concordar com eles.


Share:

0 comentários