Amar é aceitar os riscos


Photo by Andrew Palmer on Unsplash


Em tempos de extrema desconfiança e em que filmes e novelas cada vez mais enfatizem traições. Amar atualmente, é sim aceitar riscos.
E acredite, esses riscos valem a pena. Quase sempre.

Muitas vezes embarcamos em viagens sem volta somente porque queremos ter alguns momentinhos de adrenalina. As melhores sensações se encontram do outro lado da montanha do medo. E para alcança-las, basta aceitarmos todos os riscos e passar por cima de todos os medos.

É como pular de paraquedas.
O medo de o paraquedas não abrir talvez seja um pensamento constante. Porém, é inegável que quem já o fez, quer fazer de volta e de volta. Afinal, é uma das melhores sensações que alguém pode ter.
A vontade de se sentir vivo é o que nos faz aceitar riscos nem sempre tão calculáveis.

Amar é assim. É saltar de paraquedas sem nem sempre ter certeza de que o mesmo irá abrir ou não. Ele pode abrir e você ter uma das melhores sensações da sua vida e pousar com segurança.
Pode também se recusar a abrir e aquilo ser os 2 minutos mais insanos da sua vida. Morrer rapidamente (metaforicamente falando).
Ele pode se recusar a abrir e então sua queda ser meio dolorida. Acontece, mas acredite, ainda assim deve ser uma experiência única.
Amores únicos merecem ter seus riscos corridos. Pessoas únicas merecem que alguém corra estes riscos por elas. Talvez você mereça que alguém corra esse risco por você.
Qual tipo de paraquedas você quer ser?
A queda representa a volta a realidade. Se você vai chegar são e salvo, a escolha é sua.
Não deixe de viver por um coração partido.
Há a oportunidade de pular outra vez.

Afinal, todo amor que vale o risco, é único.



Lucas Iensen

Share:

0 comentários