Detalhes.


Gosto de pessoas atentas, pois elas reparam detalhes. E cá entre nós, sempre fui fã de detalhes. Se me perguntarem quais detalhes reparo, ora, reparo todos.
Desde a tua chegada, até a tua partida.
Quanto tu chegas, os detalhes chegam também.

Junto a ti, chega a poesia. E aqui te descrevo.
Junto a ti, chega a ponta de teu cabelo bagunçado. Chega teu boné virado pra trás. Chega tua camiseta larga. Chega tua calça abarrotada e teu tênis antigo, que de praxe, combina com as bandas que você mais gosta.

Junto a ti, chega o frio na barriga.  Chegam olhares rápidos. Alguns aqui, outros ali. Sempre de relance. Chega a timidez, que há tempos não possuo, mas você me causa.
Junto a ti, chega teu sorriso que me desmonta. Chega tua risada, como música para os ouvidos.

Junto a ti, chegam pensamentos. Pensamentos de como assimilar a rapidez com que nossas conversas se estendem. Pensamentos de como assimilar a rapidez desta conexão.
Junto a ti, chegam dúvidas. Se não sou a única, mas você me quer tanto, isso ironicamente faz com que eu seja a única no final ou desde o início?

Junto a ti, chegam desejos. Desejo de não nos olharmos mais tão rapidamente. Desejo de não nos admirarmos tão de longe.
Desejos que não deveríamos ter, mas temos. Se é errado, eu não sei. Ou talvez saiba, mas ignore este fato. O que sei, é que estou decidida a ceder a todos eles.

Antes de você chegar, a ansiedade para te ver já chegou.
E antes de você partir, já notei mais detalhes.

Quando tu passas por aquela porta estreita, talvez você não seja apenas mais um detalhe. Talvez, você seja o detalhe, em meio aos outros. E os outros, são só meros detalhes, se comparados a você.


Sua vez, não nos vinguemos mais. Sei que tu também és uma pessoa atenta, então, me diga: quando me vê adentrando a porta estreita, quais detalhes você repara? 

- Amanda Trevisani

Share:

0 comentários