BASTA: Um poema sobre atitudes.



Dessa raça de amor sem fala
Já passou
Hoje amo, digo e falo
Expresso-me quando posso
Sou amor.

Virei bilhetinhos descompromissados
Alguns respondidos,
alguns nem lidos
outros rasgados
descartados
e até mesmo pisoteados.

Essas paixões tem endereço.
Ônibus que passa às 15
cada dia, o coração cobra um preço.
Tô do avesso.

Não ligo
Porque quem ama
Também tem amor de amigo
e de amigo basta o motorista e cobrador

Deixaram passar por mim tantas pessoas
que secretamente
chamei de amor.


- Lucas Iensen

Share:

0 comentários