O jogo das relações pessoais: ninguém perde, ninguém ganha


Existem pessoas mal intencionadas e existem humanos.
Humanos erram. Nem sempre porque querem errar, mas simplesmente porque são falhos.
Uma pessoa falha não deseja magoar outra por puro prazer. Mas, acaba magoando sem nem perceber.
Se você tem um problema, confronte-o. Olhe no rosto do problema e o resolva.
Se há um problema, há uma solução. A matemática é exata e direta neste quesito. Porém, você precisa estar disposto a querer resolver esta equação. Se você não quiser, não importa quantas mil pessoas queiram.  Relações pessoais não envolvem só você, e para resolver um problema conjunto, é preciso estar em conjunto.
Ninguém tem a obrigação de saber o que se passa dentro da sua mente. Se você não falar, ninguém tem a obrigação de descobrir.
Não se cale, fale. Abra o jogo. Coloque as cartas na mesa.
No início, elas estarão embaralhadas. Cada um receberá suas cartas. E cada um tentará fazer o máximo para vencer a partida.
No final, ninguém vencerá. Uma relação pessoal não se é baseada em quem ganha ou quem perde, até porque não temos um vencedor nem um perdedor. Uma relação pessoal é baseada em quem aceita jogar.
Jogar o orgulho fora.
Existem pessoas mal intencionadas e existem humanos.
Humanos erram. Nem sempre porque querem errar, mas simplesmente porque são falhos.
Sendo humano, você vai errar de novo. Não seja como um mal intencionado, assuma seu erro.
E aprenda a jogar.



- Amanda Trevisani

Share:

0 comentários