Empatia




Há mulheres e mulheres.
E entre esses garfos e talheres,
eu costumo selecionar o que me dificulta a vida.

Você facilita. 

Porém facilita à sua maneira,
me deixa de lado.
E eu busco desculpas bobas para discutir contigo.
Qualquer música,
qualquer posição política,
bobeira.
Eu só quero ouvir um pouco dessa tua voz fina ecoar pelas caixinhas danificadas do meu celular.

E é em meio à chuva, que eu solto sua voz.
Já pensei tanto em nós,
fiquei amarrado neles

e não consegui mais me soltar, calar.
Calei meu juízo,
deixei meu abrigo e só queria te fotografar em preto e branco.
Tuas cores?
Eu guardo na memória,
Afinal, é ali onde a primeira vez que eu te vi, mora.

Não me deixes mais perder nenhum café,
porque desse tour de você na minha vida,
eu tô pagando promessa a pé,
e escrevendo até meus dedos calejarem.
Calem-se todos.

O amor ficou mudo.
Eu mudo meus planos para poder te ver, mesmo quando não somos mais confidentes.
De repente, vira só empatia,
lembrar de você, durante todo o dia.


Lucas Iensen

Share:

0 comentários