2017 giros


Mais um ano que se vai e mais um ano que chega. Nada de novo. Apenas o ponteiro do relógio girando como sempre e alertando um novo tempo.
Pode ser que não tenha nada de novo em o tempo girar, mas em cada novo tempo pode ser que tenha muita coisa nova. 

Para este novo ano, não fiz metas, nem planejamentos. Alguns pensamentos aqui, outros ali, apenas isso. Decidi não me preocupar com o futuro desta vez. 
Não vivo no passado e muito menos no futuro. Vivo o presente e o agora e é com ele que me preocupo. E a cada dia basta sua preocupação. Neste novo tempo de um mesmo relógio que gira, não quero planos que talvez nunca sejam alcançados. Quero surpresas e  coisas inesperadas. 

Que carreguemos as memórias dos anos passados. Mas que não carreguemos sobre os ombros, lembranças que o corpo não suporta o peso. Elas já nos fizeram crescer e nos tornarmos o que somos hoje. Quanto às boas lembranças, carregue-as com a certeza de que a vida também pode ser boa. Você experimentou o gosto da felicidade.

Assim como o tempo se encarrega de fazer o relógio girar, a vida se encarrega de girar nosso cotidiano. As pessoas que encontramos e as que deixamos partir, os lugares que fomos e deixamos de ir, todos nos provam que o mundo dá voltas e nos coloca sempre onde deveríamos estar. Tudo acontece com algum propósito e onde estamos hoje, é onde devemos estar. Aceitemos o presente, o futuro ainda há de chegar. Olhe o relógio. Os ponteiros afirmam que o tempo girou mais uma vez. 

Afinal, pode ser que não tenha nada de novo em o tempo girar, mas em cada novo tempo pode ser que tenha muita coisa nova. Não me cabe esperar, me cabe viver. Se acontecer, aconteceu. Se não acontecer, vivi. 

- Amanda Trevisani

Share:

0 comentários