Eu, você e a estrada


Eu, você, um carro e a estrada. Faça suas malas e não fique preocupada. Prometo não correr muito; aproveitar o tempo com você é meu intuito. Só nós dois e as estradas, as comidas na mochila que dividimos e as fotos nas paradas, mostras de que, de fato, nos divertimos. Destino? Pra que destino?
Quero a emoção de rumar ao incerto, ao desconhecido, deixar a vida ser uma surpresa. A única certeza que quero é da sua presença ao meu lado.


Praias, cachoeiras, comidas diferentes, parques, paisagens. Por que escolher ao invés de viver? Não sei se já percebeu mas não temos muito controle sobre a vida, então por que não passar mais tempo vivendo ao invés de desperdiçá-lo planejando? Se o Paraíso nos chamar amanhã, de que adiantou tanto planejar? Tendo combustível, comida e você, o que mais posso querer? Nós dois volte e meia nos perdemos na pressão de construir nosso futuro, ser alguém, mas precisamos ser, viver, aprender.
 A estrada não é como a vida, que não permite retornos, então por que temer? Errar faz parte, e as vezes nos leva a lugares que não conheceríamos, experiências novas, ou apenas alguns quilômetros desperdiçados procurando uma placa de retorno.


E quando cansarmos, dormir em um hotel ou em uma pousada, em um quarto diferente, cheiro de viagem. Sentir aquela deliciosa sensação de alívio ao deitar depois de um dia agitado, ver seu sorriso mostrando que o dia não foi desperdiçado. Acordar, tomar café da manhã de hotel e voltar. Pegar a estrada e também sua mão. Chegar em casa, desfazer as malas e descansar ainda mais naquele aconchego único da nossa casa. Falando em casa, o que acha de um motorhome?



Stephen S. M.

Share:

0 comentários