Flores ao passado


Você já não me assombra mais. Você não tem mais esse efeito sobre mim. Afinal, você só me leva para trás.

Você é algo feito pela vida, mas imposto pela insanidade de minha mente. Insanidade esta, que insiste em negar o presente.

Você não tem nada de novo para me trazer. Talvez, para me atrasar. E já basta de o ponteiro do relógio teimar em voltar.

Minha mente sente, você é evidente. Mas, meu coração sabe que somente o presente é eminente. E somente o presente me traz o novo.

O novo traz medo, e nem sempre chega cedo. E meu bem, está tudo bem. Você não é refém. Tudo tem seu tempo e o presente momento.

Tudo bem sentir saudade, só não se prenda à antiga idade. Às vezes sentimos falta não daquilo que nos fez bem, mas sim do apego que costumávamos ter em alguém.

Tudo bem se o presente tiver outros olhos, outro sorriso, outras sardas, outro tom de cabelo, um distinto som de voz e outra mentalidade. Quem sabe dessa vez, o presente chegue com um pouco mais de maturidade.

Quem sabe dessa vez, você pense mais antes de abrir o laço do presente. Afinal, nem todo presente traz consigo uma boa surpresa. Não se permita ser novamente uma presa indefesa. Mas, aja em sua defesa.

Tudo bem se acalentar, mas jamais deixe que o fantasma do passado te impeça de abrir os braços para um novo amar. Coloque em sua mente: você fez sua parte. Só parte quem não quer ficar.

Não olho para trás, por mais cômodo que me pareça. Jogo fora qualquer peça que me impeça de viver. Ele não tem nada de novo para me trazer. Deixo o que ficou de amargo morrer e aprendo a crescer.

Hoje, decidi reviver e colocar o relógio para correr. Afinal, o passado só fez envelhecer. A alma e o relógio. Hoje, mato o ódio e entrego dores e flores ao passado.

Ele está enterrado.

- Amanda Trevisani

Share:

0 comentários