Amor, eu caí!



(trilha sonora sugerida: Evanescence - October)

Eu trilhei diversos caminhos. Trilhas pesadas, caminhos de pedra, rotas íngremes. Segui por lugares que nem mesmo eram caminhos, embora eu achasse que fossem, ou apenas mentia para mim no desespero de me achar em algum lugar.
Quando me encontrei à beira do penhasco, já não estava nem um pouco afim de caminhar mais. Era mais fácil ficar sentado esperando socorro, mas nem deu tempo: quando pensei em desistir, eu caí. Foi a sensação mais estranha que já tive.
Não, não foi estranho cair. A sensação da queda livre é até que prazerosa. Estranho foi cair em seus braços. Por que você me segurou? Justo eu?

Eu só queria chorar. Cansado, me entreguei à você. Eu não tinha muito a fazer. Me desculpe chegar nesse estado, mas eu juro que só estava buscando um caminho. Graças a Deus você era forte o suficiente pra me segurar.
Depois de tanto cuidar de mim, quem diria, aqui estou eu, ainda caindo.
E eu tenho gostado disso.

Tenho tropeçado nos seus suspiros quando olha pra mim. Aprisionado por seu olhar apaixonado, esqueço de olhar pra frente, tropeço e caio. Caio no seu amor, caio no seu afago. É difícil não me prender no seu olhar: como eu amo ele!
Seu sorriso bobo me põe no chão e me mantém ali. Não tenho forças pra lutar contra e resistir ao encanto da sua mais sincera e explícita expressão de paixão. É difícil dizer se é seu sorriso largo ou seu olhar profundo que golpeia mais fortemente meu coração e rende minh'alma. Amo os dois, amo você.
Descuidado caí na sua graça, que me acolheu indiscriminadamente. Mesmo ferido, fraco e pobre, você me acolheu enquanto eu caia. E não haveriam cuidados melhores do que os seus.

Quando desisti, você se determinou.
Quando me entreguei, você me aceitou.
Quando tropecei, você me segurou.

Amor, eu cai. Caí de encantos por você, caí nos seus braços de amor.


Stephen S. M.

Share:

0 comentários