As pessoas não são só isso que você vê


     Quem nunca olhou para um casal e pensou "nossa, fulano(a) é tão inteligente, tão sábio(a) ... Ele(a) deveria ter escolhido alguém melhor para namorar/casar"? Nós temos mania de julgar as pessoas apenas pelo que podemos ver delas. E é sobre isso que vamos conversar hoje. 

     Nós temos mania de julgar algo por aquilo que ele aparenta ser. Quem nunca escolheu comer algo que nem tinha certeza se era saboroso, só porque "a cara" da comida estava boa? Quem nunca na livraria pegou um livro para folhear só porque a capa chamou a atenção? Quem nunca foi atraído por um determinado produto só porque a embalagem era bonita? Pois é! Somos seres visuais e se isso não for bem dosado em nós, pode nos fazer cometer graves equívocos. 

     E a partir desse mau uso das nossas precipitações visuais, vamos começar a dizer que uma pessoa não é suficientemente boa para estar ao lado de outra, que fulano não combina com a área que escolheu trabalhar, que certo estilo de vida não condiz com as escolhas de ciclano... E várias outras sequências de enganos que evitaríamos se nos permitíssemos conhecer um pouquinho mais daquela pessoa antes de rotulá-la apoiados nas breves horinhas semanais que dividimos com ela. 

     Certa vez, eu precisei faltar um compromisso porque eu estava passando muito mal e avisei em cima da hora para a pessoa que era a autoridade acima de mim naquela situação. Depois de um tempo, fiquei sabendo que essa pessoa reteve uma imagem negativa a meu respeito e passou a me ver como uma irresponsável. Só que naquela mesma época, lá em casa, minha  mãe vivia me pedindo para eu ser menos exigente comigo mesma, nos estudos, nos afazeres... Ela pedia para eu sair e me distrair um pouco, pois eu estava me tornando uma adolescente introspectiva e sem amigos por causa da minha super responsabilidade e apego aos meus compromissos. 

     Perceberam o que aconteceu? A mesma pessoa (eu) formou opiniões contrárias acerca de si mesma na concepção de duas outras pessoas. Uma me achava irresponsável, já a outra, me via como responsável em excesso. E aí, nessa situação, quem tinha a imagem correta de mim? A pessoa, que me rotulou com base em um imprevisto ou minha mãe que convivia dia e noite comigo? 

     Um dia eu ouvi a seguinte frase: "é preciso comer um quilo de sal com uma pessoa antes de dizer qualquer coisa sobre ela" e percebi que ela traz uma grande verdade! Imagine quanto tempo demoraríamos para comer um quilo de sal puro com uma pessoa? Muito tempo, não é mesmo? Exatamente. Tem gente colocando uma pitadinha de sal na boca e minutos depois cuspindo rótulos.



O interior de um ser humano é muito mais complexo, rico e extenso que aquilo que o exterior dele é capaz de mostrar. 


Que reflitamos. 

                                                                                                                    - Brígida Gabriela

Share:

0 comentários