Tempo


Há quem diga que o tempo é seu inimigo; há quem diga que o tempo é seu amigo.
Eu digo apenas que vivo um dilema; talvez, dos tempos modernos, seu emblema.
Ao passo que preciso de tempo para resolver meus assuntos,
apresso o tempo para que ele nos coloque juntos.
Quero que ele acelere, mas com calma, para não sufocar minh'alma.
Preciso que o tempo vá te buscar, mas sem de mim nada tirar
Pois assim que você chegar,
vou implorar para ele descansar,
não passar, não te levar.
Que cada segundo seja um ano inteiro para eu te aproveitar
Que os ponteiros parem,
que os pêndulos não mais balancem,
que os relógios de rua travem.
Que você fique, que não vá tão cedo.
Encarar o fato de me despedir de você me dá medo.
Por favor, tempo, sei que pedi para que se adiantasse,
mas não se vingue da minha pressa; você sabia que eu só queria que ela chegasse
Ela chegou, e você já quer levá-la embora. O que posso fazer para te congelar, tempo, nesta hora?
Como te faço parar para aquele avião não decolar?
Admito que não tem como te segurar, você vai levá-la sem hesitar.
Meu pedido então é para você encurtar a enorme distância temporal que há de nos separar.
Precisei de você muitas vezes, mas agora preciso que vá.
Vá, tempo, deixe nos a sós!

Deixe este abraço durar um pouco mais,
deixe este beijo nos aquecer sem que da pressa tu nos lembrais.
Deixa este riso me iluminar mais um instante,
para que eu não me perca na escuridão da saudade adiante.
Hoje, se há uma coisa que a ti, tempo, quero suplicar,
É que deixe-me por mais um segundo com meu amor ficar.

Stephen S. M.

Share:

0 comentários