Beleza? Qual?


Antes de começar, gostaria de avisar que o texto é bilateral, vale para ambos os lados. E leia até o final antes de querer me bater.

"Você é a mulher mais linda desse mundo". Quem nunca ouviu esta mentira?
Não, garota, você certamente não é a garota mais linda do mundo para o seu namorado (nem pra maioria das pessoas à sua volta). E não tem nada de errado nisto. Está tudo bem, acredite. Espero te provar isto até o final do texto.
Somos acostumados a ouvir e falar isso, é força do hábito e uma construção da nossa sociedade. Não dizer isto ou dizer algo diferente pode soar como um "não gosto mais de você", "tenho interesse em outra mulher". Mas vamos jogar com fatos: você certamente não é a mulher mais linda do mundo para o seu namorado (nem pra maioria das pessoas à sua volta). Mas entenda que está tudo bem. Isto não é um problema (ou ao menos não deveria ser).

Carregamos uma imagem errada de amor atrelado à beleza. Seu namorado provavelmente olha para a foto de outras garotas, atrizes, modelos e as acha mais bonitas do que você. Agora pare e pense um pouco: qual o problema disso senão o corrosivo ciúme que você pode acabar alimentando? Quem disse que amor é dependente da noção de beleza?
Amor vai além, amor não se limita à atração física/sexual (isso tem outro nome. E garotos: isso não justifica você quase quebrar o pescoço pra olhar uma "bundinha de academia"). Por mais que exista outra pessoa mais bonita do que você, isso não significa que aquela pessoa desperte mais sentimentos no seu namorado. Amor é algo que vem de dentro, que usa as aparências apenas como ponte pra ligar uma alma sedenta àquela que mata sua sede por outra pessoa.
Beleza é relativa e superficial, e seus padrões bem como a noção individual do que beleza é mudam constantemente neste mundo. Mas seu namorado vai enxergar a beleza de um sorriso bobo seu ou se encantar com seu olhar para ele. O amor é cego, de fato. Ele não precisa ver pra sentir, até porque o amor não é físico; é abstrato. Ele existe em uma outra dimensão da qual não temos acesso senão pelo próprio amor. Ele existe quando você acabou de acordar, descabelada e de cara torta ou quando está na maca de um hospital recebendo soro na veia.

É bem provável que alguma vez na vida tenha visto um casal e pensou "caramba, como uma garota tão linda ficou com um cara feio desse jeito?". Enquanto você olhava pra beleza exterior, que dentro de alguns anos irá se acabar (bem como a sua, lamento informar), a outra se deixava seduzir por uma alma bela. Agora me diga: qual tipo de casal você mais vê dar certo, o "casalzão" de insta que parecem dois modelos ou aquele casal mais ou menos que você não consegue entender de onde sai tanto amor?

Este mundo não passa de um teatro de aparências. E nessa de viver por fora, onde seios fartos e nádegas firmes valem mais do que uma intimidade de alma, onde ostentar likes em fotos parece mais sensato do que ter coragem e caráter de conhecer alguém e se deixar ser conhecido ao invés de sustentar uma imagem falsa de quem você é, relacionamentos medíocres e supérfluos reinam livremente trazendo desgosto e desgraça na vida de muitos. Feliz é quem não se deixa enganar, ama por dentro primeiro e não idolatra a volátil beleza.
E se você se olhar no espelho e bater aquela insegurança por não se achar tão bonita, bem, de fato você pode não ser tão bonita no espelho, mas o sorriso maravilhoso que você dá apaixonada pro seu namorado só ele vê. E foi isso que atraiu ele.

Feliz é quem foi seduzido por uma alma entregue nua e não por um escultural corpo despido.



Stephen S. M.

Share:

0 comentários